TecNews Janeiro • 2018 - Comparação de dois shampoos no tratamento da Malasseziose Canina

Empresa

Virbac

Data de Publicação

16/02/2018

PDF

A Malassezia Pachydermatis é um micro-organismo fúngico comensal de cães e gatos, o que significa que faz parte de sua microbiota natural, podendo ser um agente oportunista nos casos de otite externa e piodermite superficial.

Essa interação entre o hospedeiro e a Malassezia, e a patogênese da malasseziose, no entanto, ainda não estão totalmente compreendidos. Múltiplos mecanismos devem estar envolvidos, incluindo redução das defesas do hospedeiro e alterações da microbiota cutânea. O tratamento pode envolver produtos tópicos e/ou sistêmicos, dependendo da gravidade do quadro.

Dentre os produtos sistêmicos utilizados no tratamento, pode-se citar cetoconazol ou itraconazol. Quanto a produtos tópicos, existem muitas formulações no mercado, a maioria xampus, mas aqueles com maior comprovação por evidências científicas são aqueles à base de clorexidina 2% com miconazol 2% e à base somente de clorexidina a 3%.

O presente estudo teve por finalidade comparar essas duas formulações tópicas no controle da malasseziose canina.

No total, 54 cães foram incluídos no estudo, separados em dois grupos. O grupo tratamento recebeu banhos com shampoo à base de clorexidina 3% e o grupo controle clorexidina 2% com miconazol 2%.

O gráfico abaixo representa os resultados obtidos. Utilizou-se os produtos por 2 a 3 vezes por semana, até a cura comprovada por citologia (que ocorreu em, no máximo, 6 semanas). Os resultados estão demonstrados no gráfico 1.

Os autores mostraram que essa análise comparativa in vivo corrobora com os achados de outros trabalhos in vitro, que já haviam demonstrado a ação fungicida da clorexidina na concentração de 3% (Lloyd & Lamport, 2000; Lloyd et. al, 2003).

O gráfico 2 representa um estudo realizado in vitro, no qual foi analisada a relação de unidades formadoras de colônias por ml em função do tempo (min).

A análise mostra que a terapia tópica com clorexidina a 3% é tão eficaz quanto a combinação de miconazol 2% com clorexidina 2%.

Um estudo anterior desenvolvido por Jasmin et. al, em 2003, já havia comprovado a eficácia in vivo de um shampoo à base de clorexidina a 3% para o tratamento de MOG (Malassezia Overgrowth) associado a dermatite em 28 cães.

Os autores mostraram que o produto foi bem tolerado e muito efetivo, não somente contra bactérias, mas mostrando também excelente ação antifúngica. Os resultados obtidos mostraram diminuição de sinais clínicos dos cães em cerca de 85% e redução da população de Malassezia em mais de 97%.

Ao final de 3 semanas de tratamento, 93% dos cães do estudo apresentaram escore zero para contagem de Malassezia, conforme o gráfico abaixo (gráfico 3):

Conclusão

A escolha final sobre qual produto utilizar para cada caso é do médico veterinário, mas é importante que ele conheça as opções que estão disponíveis no mercado, desde que exista comprovação técnica da ação alegada.

A clorexidina é uma molécula segura e eficaz, utilizada há bastante tempo no tratamento das piodermites bacterianas caninas. Na concentração de 3%, ela possui também comprovada ação antifúngica.